Uma nova instância de governança nasceu do Programa LIDER, e está constituído FÓRUM SUL DA BAHIA GLOBAL, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento regional por meio da construção de um plano de ações, gerado a partir de discussões de temas da sociedade regional.

O Fórum é formado por instituições, empresas, poder público e pessoas físicas, dos municípios de: Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Uruçuca, Una e Canavieiras. A fase atual é de construção do mapeamento de atores que podem contribuir, direta ou indiretamente, com a implementação e operação de ADR – Agência de Desenvolvimento Regional.


Idealizada com o objetivo inicial de representar os municípios produtores de cacau da região Sul da Bahia, visando defender seus interesses diante do Estado e da União, a Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano (Amurc) foi criada em 21 de novembro de 1984, pelo ex-prefeito de Itabuna, Ubaldo Dantas, o ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, com a participação da ex-prefeita de Itajuípe, Gilka Badaró, primeira mulher a presidir a entidade, que vem se consolidando na busca pelo fortalecimento do municipalismo e do desenvolvimento regional.


O Arapyaú nasceu em 2008 inspirado pela crença de que a filantropia pode ser uma força para o bem-estar social, ambiental e econômico. Acreditamos na colaboração como única forma de enfrentar os complexos desafios contemporâneos. Valorizamos o diálogo e buscamos conectar diferentes iniciativas e setores – social, privado, público e academia – para a construção coletiva de soluções inovadoras.


A Câmara de Turismo da Costa do Cacau, tem por objetivo apoiar e estimular o turismo na área litorânea do sul da Bahia de forma sustentável, de acordo com o Programa de Regionalização do Ministério do Turismo. Atualmente é composta de 10 municípios: Marau, Itacaré, Uruçuca, Ilhéus, Itabuna, Una, Canavieiras, Santa Luzia, Pau Brasil e Ipiaú.


O Centro de Inovação do Cacau, inaugurado em março de 2017, faz análises variadas em amêndoas de cacau e chocolate. Trata-se de um laboratório dedicado para fazer análises de amêndoas de cacau, prestando serviços a produtores de variados portes e mesmo à indústria processadora. São testes de qualidade para detectar defeitos, classificar e avaliar a fermentação, medir o nível de acidez, percentual de gordura, índice de oxidação de gordura e vários outros. A partir de setembro, a ideia é ter também análises sensoriais e formulação de chocolates.


A Eixo 4 – Soluções Inteligentes é uma empresa de consultoria e instrutória, especialista no segmento de Turismo.


Tem como objetivo intensificar o relacionamento do setor empresarial, fomentar o debate sobre política econômica, gestão empresarial e responsabilidade social que promovam o desenvolvimento das empresas, das cidades e, principalmente, das pessoas. É o principal encontro de lideranças empresariais com participação na reconstrução da Bahia e do Brasil.


O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), criado no dia 29 de dezembro de 2008, quando sancionada a Lei nº 11.892, responsável por instituir a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e transformou o Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFET) em Instituto Federal da Bahia (IFBA), vinculado ao Ministério da Educação (MEC), e membro do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), possui natureza jurídica de autarquia, sendo detentor de autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar.


Mediante a aprovação da lei 11.892 de 2008, as Escolas Agrotécnicas Federais de Catu, de Guanambi (Antonio José Teixeira), de Santa Inês e de Senhor do Bonfim, juntamente com as Escolas Médias de Agropecuária Regional (EMARCs) criadas e mantidas pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC), orgão vinculado ao Ministério da Agricultura, foram fundidas a fim de criar o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano), cuja reitoria está instalada em Salvador.


O Instituto Nossa Ilhéus (INI) foi fundado no dia 09 de março de 2012 pela empreendedora social Maria do Socorro Mendonça com a participação da jovem Morgana Krieger. É uma iniciativa da sociedade civil organizada que tem por objetivo fortalecer a cidadania, a democracia participativa e o empreendedorismo, tendo por base a sustentabilidade e o monitoramento social.

Age sob os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência, e não faz qualquer discriminação de raça, cor, gênero ou religião. Em 2019, soma quase 50 associados.


O Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia, é resultado da iniciativa do Comitê de Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Planejamento e Implantação do Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia, formado em 2013, por cinco instituições, incluindo UFSB, UESC, CEPLAC, IFBA e IFBaiano.


Nosso objetivo é promover a divulgação de informações importantes para os estabelecimentos turísticos da cidade, bem como interagir com o público sobre assuntos diversos.


A Tabôa é uma organização sem fins lucrativos, que fomenta iniciativas de base comunitária e empreendimentos socioeconômicos, que valoriza a cultura local, a diversidade e contribui para a geração de prosperidade e qualidade de vida.

Iniciou sua atuação em abril de 2015, no distrito de Serra Grande, Uruçuca/BA, e em comunidades do entorno do Parque Estadual da Serra do Conduru (PESC). A partir de 2017, ampliou sua atuação para outras comunidades localizadas nos municípios de Ilhéus, Uruçuca e Itacaré.


A UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ teve sua origem nas escolas isoladas criadas no eixo Ilhéus/Itabuna, na década de 60. Em 1972, resultante da iniciativa das lideranças regionais e da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC), as escolas isoladas (Faculdade de Direito de Ilhéus, Faculdade de Filosofia de Itabuna, e Faculdade de Ciências Econômicas de Itabuna) congregaram-se, formando a Federação das Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna – FESPI. Reunidas em Campus, na Rodovia Ilhéus/Itabuna, no município de Ilhéus, pelo Parecer CFE 163/74, os estabelecimentos de ensino foram ganhando maturidade e competência, criando as condições para pleitear o “status” de Universidade. Mantida, entretanto, por uma fundação de natureza privada, o acesso a seus cursos tornava-se particularmente difícil, considerada à realidade regional. Assim, a Federação reorientou-se no sentido de tornar-se uma fundação pública.


Em 16 de agosto de 2011 foi enviado ao Congresso Nacional o Projeto de Lei 2207/2011 que dispunha sobre a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia. Logo após o anúncio do envio do PL ao Congresso, a Universidade Federal da Bahia, como primeira instituição de ensino superior da Bahia, na condição de tutora, institui uma comissão interna para iniciar o processo de construção do projeto, iniciando uma série de reuniões nos municípios propostos como sede dos novos campi.